Crua & Doses Diárias de Amor e Respeito Próprio


Em outubro do ano passado, eu fiz a melhor loucura desse blog participando do BEDA. O mais louco foi que eu consegui postar durante ele. É algo engraçado, mas eu só me dedico realmente a algo quando me sinto desafiada. Eu sempre gostei de indicar tudo aquilo que gosto, tanto que transformei a categoria de resenhas para indicação, pois nem sempre eu resenho, só digo que amei e como me senti, então é algo que se encaixa mais na proposta que eu faço aqui no blog. E quando se trata de indicar, a gente pode indicar de tudo, né? Sem medo de ser feliz. 

Nesse BEDA, indiquei dois ilustradores com recados cheios de positividades pra vocês (aqui) e hoje irei indicar mais dois. Melhor, duas. Acompanho elas no Facebook e elas também falam sobre saúde mental, comecei a seguir elas no momento em que tudo desmoronou em minha vida interna (eu mesma, literalmente, eu desabei em mim) e foram de extrema importância em todo o meu processo de cura interior. São páginas que falam muito sobre amor e cuidado com nós mesmos, sobre como podemos curar nossa própria vida, que somos maravilhosas e que podemos tudo e um pouco mais.  E além das ilustrações com frases, geralmente textos acompanham. Caso não conheça, tá esperando o quê pra conhecer? Vem ver. 

CRUA



Doses Diárias de Amor e Respeito Próprio


E então? Sentiu um alívio vendo a mensagem que quiseram passar? Chorou? O saldo final foi bom? Espero que sim! Na vida a gente já é tão bombardeado com coisas ruins, com julgamentos... Então, ao meu ver, páginas assim são essenciais. E em minha vida, elas fizeram uma diferença significante. Ainda mais pelo momento em que apareceram em minha vida. A verdade é que enquanto crescemos, sempre ensinam a gente a lutar, a brigar, a defender o que a gente acha ("é minha opinião"). Mas poucas vezes (ou nunca) nos ensinam a negociar, a dialogar e a tentar entender o outro além da nossa opinião (ou preconceitos). 

Não seja apenas mais uma dessas pessoas que apenas rebloga/compartilha "mais amor, por favor". Seja a pessoa que coloca mais amor, de fato, no mundo. E tudo bem se você começar com amando mais você e criando respeito por você. Tá tudo bem. O importante é a gente começar de onde a gente está, da forma que a gente pode. Espero que faça bem pra você como faz pra mim.

Ana Débora, com carinho e gratidão

A única certeza da vida, é que ela é incerta (e nós também)

~ amém, vida ~

E por isso ela muda, nós mudamos. Eu não entendia antes gente que dizia não mudar, pois já era adulto. Apesar de que, por um pequeno tempo, isso de certa forma me confortou (sempre mudo demais e tem vezes que dói demais). Mas hoje, eu percebo que se na vida adulta significa não mudar, ou seja, não ser capaz de me acrescentar ou retirar nada, qual o sentido que teria em continuar a caminha sobre a terra? Nenhum. Se ser adulta fosse morrer por dentro, ser algo imutável, um objeto, uma não pessoa, eu iria continuar aqui pra quê? Que coisa triste é alguém dizer que não muda. A pessoa está morta por dentro e talvez nem saiba. Vive sem razão. Vive sem propósito. E de quanta coisa se priva! Quanta coisa deixa de modificar! É maravilhoso viver sem a influência constante de hormônios conflituosos da adolescência, mas o fator camaleão, a bagunça organizada, a metamorfose ambulante... essa, eu decido me prender a essa liberdade de ser inconstante, de me moldar e de me refazer quantas vezes eu quiser. 

Não desista enquanto tudo estiver ruim, pois você pode melhorar. Não desista enquanto tudo estiver bom, pois você pode deixar ainda melhor. Não desista da vida antes dela deixar você ir. Deixe a vida te surpreender e te dar tudo o que você merece. O único tipo de surpresa que nunca deixará de realmente nos surpreender (a gente na vida realmente nunca sabe de nada, somos todos Jon Snow). A gente pode até não ter pedido pra nascer, mas já que estamos aqui, melhor aproveitar!

Ana Débora, com carinho e gratidão
essa foi a resposta para minhas atuais angústias